20/07/2015 às 10h15min - Atualizada em 20/07/2015 às 10h15min

Advogados de acusados de torturar garoto de 13 anos pedem revogação da prisão preventiva

Crime foi cometido após trio acusar garoto de roubo a comércio, diz polícia. Menor confessou crime em depoimento.

Jotta Oliveira - Piranhas
Tribuna Piranhense

Os advogados de defesa dos dois empresários, e do funcionário deles, que foram presos na última sexta-feira (17/07), acusados pela polícia de ter torturado um menor de 13 anos em Piranhas, no oeste de Goiás, pediram a revogação da prisão preventiva dos clientes.

O pedido agora passará pelo Ministério Público e, em seguida, será encaminhado ao magistrado, que deve dar uma resposta em até 72 horas após o recebimento. Se o juiz decidir pela soltura dos três homens, eles devem ganhar liberdade até 48 horas depois. Eles estão presos desde à noite de sexta-feira (17/07) na Cadeia Pública de Piranhas.

Os advogados já pediram habeas corpus no mesmo dia da prisão, mas os pedidos foram negados no sábado (18/07). Outro pedido foi realizado no Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) e a decisão é aguardada.

De acordo com o delegado Marlon Souza Luz, responsável pelo caso, os suspeitos responderão a processos por tortura, roubo e ameaça, já que, após o garoto ser espancado, um celular da vítima foi levado e a mesma foi avisada que, se fosse dito algo a alguém, aconteceria algo pior.

Segundo informações da polícia, o crime aconteceu na madrugada de sexta-feira (17/07) e o motivo teria sido um furto que o menor e um amigo dele teriam feito na distribuidora de bebidas de um dos empresários.

O delegado que cuida do caso disse que o menor teria sido encontrado por um dos acusados em uma rua da cidade. O garoto foi convidado para entrar em um carro pelo e, como os dois eram conhecidos, o rapaz entrou no veículo do suspeito e, logo após, seguiram até uma estrada vicinal da BR-158.

Assim que o veículo parou, de acordo com o delegado, um outro carro, com os outros dois, chegou ao local. Assim que desceram, o funcionário segurou o adolescente e desferiu vários golpes em seu rosto. Sob tortura, segundo o delegado, eles obrigaram o jovem a confessar o furto. Ainda de acordo com o Dr. Marlon Souza, os agressores ameaçaram o jovem dizendo que, se contasse algo para qualquer pessoa, eles fariam coisa pior.

Logo após as agressões, os três acusados abandonaram o adolescente na estrada e foram embora levando o aparelho celular dele.

Por volta das 11h da manhã, a irmã do adolescente percebeu as agressões e acionou o Conselho Tutelar da cidade. Inicialmente, o adolescente inventou uma história, mas não falou que teria sido espancado. Ele foi encaminhado para a delegacia da cidade, e lá ele contou toda a verdade para o delegado.

Segundo Marlon Souza Luz, o adolescente também confessou que, junto com um amigo, subtraiu vários objetos da distribuidora de bebidas.

Os três homens foram presos em flagrante e, segundo a polícia, confessaram o crime informalmente, mas depois ficaram em silêncio durante o depoimento.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp