31/08/2015 às 09h19min - Atualizada em 31/08/2015 às 09h19min

Campanha de vacinação infantil termina nesta segunda

(Foto: Reprodução)

Termina nesta segunda-feira, dia 31, a Campanha de Vacinação contra a Poiliomielite e Multivacinação infantil que começou no último dia 15. Goiás ainda tem nesta campanha o que pode ser considerada como uma baixa cobertura vacinal. Contra a pólio (paralisia infantil), a meta é vacinar no mínimo 95% das crianças de 6 meses a menos de cinco anos -  390.800 crianças goianas, do total de 411.368.

Até o início da tarde da última sexta-feira, dia 28, apenas 242.191 crianças haviam sido imunizadas. O número representa 58,87% de cobertura e coloca Goiás no 12º lugar no ranking nacional da campanha. A cobertura também está baixa em todo País. Apenas, 62,2% do público-alvo foi vacinado.

Erradicação
A vacinação em massa contra a paralisia infantil é fundamental para que o Brasil mantenha-se livre desta doença. O Brasil recebeu o Certificado de Erradicação da Poliomielite emitido pela Organização Mundial de Saúde em 1994, justamente por realizar, todos os anos, as campanhas de vacinação. O último caso da doença no Brasil em 1989.

Embora não haja casos registrados da doença nos últimos 25 anos, o Ministério da Saúde (MS) e as secretarias estaduais e municipais  alertam para a importância de não se descuidar e prosseguir vacinando as crianças, rigorosamente, já que a  poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave. Ela é causada pelo poliovírus e na maioria dos casos, a criança não morre, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nas pernas. A transmissão se dá, em geral, por via oral.

A vacina é segura
A vacina contra a paralisia infantil é a única forma de prevenção contra a doença, que não tem tratamento. O MS garante que a imunização é segura e tem elevada eficácia, de 99% a 100%. Crianças com tosse, coriza, rinite e diarreia podem receber a vacina normalmente. Já crianças com infecções agudas, febre acima de 38ºC ou hipersensibilidade a algum componente da vacina devem ser avaliadas por um médico, que irá analisar se a dose pode ser aplicada na hora ou se deve ser agendada.

Multivacinação e cartão de vacina
Já a Multivacinação ocorre de forma seletiva para crianças menores de cinco anos de idade (0 a 4 anos 11 meses e 29 dias). Por meio dela são oferecidas vacinas que protegem contra sarampo, varicela, rubéola, coqueluche, tétano, meningite, pneumonia, hepatites A e B e febre amarela.

A Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e a Multivacinação também imuniza, de forma seletiva, as crianças de zero a menos de cinco anos, que ainda não receberam as doses ou estão com os esquemas incompletos de imunização das doenças infantis.

A gerente de Imunização e Rede de Frio da Secretaria da Saúde, Clécia Di Lourdes Vecci Menezes, destaca a importância de os pais ou responsáveis levarem, junto com a criança, o Cartão de Vacinação para que não ocorram dúvidas sobre as doses a serem aplicadas. Assim, as vacinas que estiverem em atraso poderão ser aplicadas na hora ou agendadas, mantendo o esquema vacinal da criança atualizado.

Em Goiás 908 postos fixos disponibilizam as vacinas.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp