01/09/2015 às 20h25min - Atualizada em 01/09/2015 às 20h25min

Vacinação contra o HPV já começou e vai até o dia 30 de setembro

Jotta Oliveira - com informações da SES GO
Tribuna Piranhense
(Foto: Reprodução)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) realiza, em todo o Estado de Goiás, a Vacinação contra o HPV – segunda dose. A ação começou nesta terça-feira (1º/09) e vaí até o dia 30 de setembro deste ano, com o objetivo de proteger meninas contra o Papiloma Vírus Humano (HPV), apontado como um dos principais fatores de risco para o câncer do colo do útero.

A segunda dose da vacina contra o HPV será ofertada às meninas na faixa etária de 9 a 11 anos e que iniciaram o esquema em março deste ano. Porém, as menores de 14 anos que por algum motivo ainda não receberam a dose contra o HPV poderão iniciar e garantir o esquema vacinal.

A vacinação é realizada pela Saúde estadual em parceria com as Secretarias Municipais de Saúde e com a Secretaria de Estado da Educação. As doses da vacina serão aplicadas nas unidades básicas de saúde de todos os municípios, entre as quais Cais, Ciams e postos de saúde. Alguns municípios vão usar a estratégia de aplicar a vacina em escolas públicas e privadas com o intuito de proporcionar a proteção a um número maior de meninas.

Nessa segunda etapa, a população-alvo é formada por 155.200 meninas. A meta é imunizar contra o HPV pelo menos 80% deste total de garotas. A gerente de Imunizações e Rede de Frio da SES-GO, Clécia Di Lourdes Vecci Menezes, destaca que a vacina também estará disponível para as mulheres da faixa etária de 14 anos a 26 anos, também não imunizadas, que têm HIV/Aids. Esta população foi incorporada como prioritária, considerando que as complicações decorrentes do HPV ocorrem com mais frequência em pacientes portadores de HIV e de Aids.

Ação preventiva

A vacina contra o HPV foi introduzida em 2014 na rotina do Calendário Nacional de Vacinação como uma estratégia de saúde pública, objetivando reforçar as atuais ações de prevenção do câncer do colo do útero. Clécia esclarece que a vacinação, em conjunto com as atuais ações para o rastreamento do câncer do colo do útero, possibilitará prevenir a doença nas próximas décadas. Hoje o HPV representa a quarta principal causa de morte por neoplasias entre mulheres no Brasil.

Em março de 2015, mesmo com todos os esforços empenhados para que altas coberturas vacinais fossem alcançadas, Goiás atingiu uma cobertura de 47,90% com 74.052 doses aplicadas. No total, as adolescentes deverão receber três doses da vacina HPV. A última dose deve ser aplicada 5 anos (60 meses) depois da aplicação da primeira dose.

HPV

A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital. Segundo estimativas do Ministério da Saúde, entre 25% e 50% da população feminina e 50% da população masculina mundial está infectada pelo HPV.

Clécia explica que a vacina HPV é destinada exclusivamente à utilização preventiva, não tem uso terapêutico no tratamento do câncer do colo do útero, de lesões displásicas cervicais, vulvares e vaginais de alto grau ou de verrugas genitais. Da mesma forma, não confere proteção contra outras doenças sexualmente transmissíveis e, por isso, a importância do uso do preservativo nas relações sexuais.

A vacinação das adolescentes ocorrerá sem necessidade de autorização ou acompanhamento dos pais ou responsáveis. Na vacinação em escolas, caso o pai ou responsável não autorize a aplicação, orienta-se que assine e encaminhe à escola o Termo de recusa de vacinação contra HPV.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp