19/09/2015 às 02h06min - Atualizada em 19/09/2015 às 02h06min

Após analise laboratorial, Saneago constata que não houve contaminação do manancial que abastece o município de Piranhas

Resultado do Laudo saiu na tarde desta sexta (19). Sacos com sementes tratadas com produtos aparetemente tóxicos foram jogados no Córrego Água Limpa, em Piranhas.

Jotta Oliveira - em Piranhas
Do Tribuna Piranhense
(Foto: Reprodução)

Segundo o gerente da Regional Iporá da Saneamento de Goiás (Saneago), João José Gomes Dias, cerca de 150 quilos de sementes tratadas com fungicida e inseticida, foram jogados no Córrego Água Limpa que é responsável pelo abastecimento de água no município de Piranhas, na Região Oeste de Goiás. O material foi depositado próximo a uma ponte da na GO-188, distante cerca de 3 km da zona urbana e, de acordo com relatos de leitores do Tribuna Piranhense, estaria no local há, pelo menos, cinco dias.

A Vigilância Sanitária do município de Piranhas foi o primeiro órgão a ser avisado sobre o problema. “Por determinação do Doutor Honório Álvares, médico veterinário, coordenador da Vigilância Sanitária Regional, nós notificamos a Saneago para que suspendesse imediatamente a captação da água até que todo o material fosse retirado do leito do córrego”, relatou o analisa da Vigilância Sanitária, Carlinho Barbosa Lima.

Após ser notificada, a Saneago recomendou que a os usuários não ingerissem em nem preparassem alimentos com a água fornecida pela empresa até que a situação fosse analisada. A orientação foi dada por volta das 11h da manhã e um grande número de pessoas saíram em busca de água engarrafada nos estabelecimentos comerciais, acabando com os estoques da cidade em menos de duas horas.

Equipes da Gerência Regional da Saneago, da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), da Polícia Militar Ambiental, da Polícia Civil e da Secretaria Municipal de Saúde estiveram no ponto do Córrego Água Limpa com suspeita de contaminação. Depois de retirar o material, os técnicos da Saneago avaliaram que não houve contaminação do manancial e, por volta das 15h40min, liberaram o fornecimento aos consumidores.

Em entrevista à imprensa local, Manoel Carlos, supervisor técnico regional da Saneago, disse que a água está em plenas condições de uso. “Fizemos uma análise inicial, com base nas condições do local onde foram depositadas as sementes, e constatamos que não houve morte de peixes nas proximidades. Além disso, foi possível constatar uma grande quantidade de organismos vivos no grãos que foram descartados no leito do córrego, o que prova que não havia nenhum produto com nível tóxico nocivos”, explica Manoel Carlos.

Noemi Hernandes, química responsável do laboratório regional da Saneamento de Goiás, em Iporá, informou que foi coletada água no local onde foram jogadas as sementes e no ponto onde acontece a extração. O resultado das analises foi divulgado na tarde desta sexta-feira (19/09) e, conforme relatos da Gerencia Regional da Saneago, não foi constatado nenhum tipo de contaminação, “Este procedimento é padrão, para que pudéssemos comprovar cientificamente a constatação que tivemos de que não houve contaminação que pudesse trazer algum perigo para a saúde humana”, relata Noemi Ernandes, química responsável pelo laboratório regional da Saneago.

O abastecimento de água em Piranhas começou a ser normalizado ainda na noite de quinta-feira (17/09).

A Polícia Civil investiga se o material foi jogado no Córrego Água Limpa de forma intencional. Quando localizado, tendo praticado crime ou negligência, o responsável poderá responder na justiça por crime contra o meio ambiente.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp