02/10/2015 às 10h48min - Atualizada em 02/10/2015 às 10h48min

Durante sessão na Assembleia de Goiás, deputado tenta agredir outro com tablet

Confusão aconteceu após Casa aprovar reajuste no valor de impostos em GO. Major Araújo diz que houve fraude em comissão; Talles Barreto nega.

Do G1 Goiás
(Foto: Reprodução/TV Anhaguera)

O deputado Major Araújo (PRP) arremessou um tablet contra o parlamentar Talles Barreto (PTB) durante uma sessão na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) nesta quinta-feira (1º), em Goiânia (veja vídeo). A confusão aconteceu após a Casa aprovar um projeto que aumenta os valores de alguns impostos estaduais.

A briga começou durante uma breve queda de energia no plenário. Talles Barreto discursava no moento. Diversas pessoas tentaram acalmar os ânimos, mas o Major Araújo pegou o equipamento e jogou na direção do parlamentar. O tablet bate em duas pessoas e acerta a mesa do deputado, que não foi atingido.

O deputado da oposição, Major Araújo, acusou os parlamentares da base governista de fraudar sessões da Comissão de Constituição e Justiça para aprovar o projeto. “Eu usei a tribuna para falar de fraude e crime e disse que ia tomar as devidas providências. Durante a discussão, eu fui ameaçado. Já são várias vezes que a bancada do governo, por ser maior, vem com história de Comissão de Ética, como se eles pudessem, a qualquer momento, tirar o meu mandato”, disse.

Já Talles Barreto disse que foi acusado injustamente de atos que não existiram. “Ele coloca como se tivéssemos fraudado. Se ele não estava presente, o problema é dele, se quando ele chegou já tinha votado, o problema é dele. Agora, não pode acusar a Casa, a comissão, do trabalho que está sendo feito”, argumentou.

O deputado da oposição, Major Araújo, acusou os parlamentares da base governista de fraudar sessões da Comissão de Constituição e Justiça para aprovar o projeto. “Eu usei a tribuna para falar de fraude e crime e disse que ia tomar as devidas providências. Durante a discussão, eu fui ameaçado. Já são várias vezes que a bancada do governo, por ser maior, vem com história de Comissão de Ética, como se eles pudessem, a qualquer momento, tirar o meu mandato”, disse.

Já Talles Barreto disse que foi acusado injustamente de atos que não existiram. “Ele coloca como se tivéssemos fraudado. Se ele não estava presente, o problema é dele, se quando ele chegou já tinha votado, o problema é dele. Agora, não pode acusar a Casa, a comissão, do trabalho que está sendo feito”, argumentou.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp