19/01/2016 às 09h09min - Atualizada em 19/01/2016 às 09h09min

Suspeitos de causar R$ 5 milhões de prejuízo ao Estado são presos

Polícia Civil deteve atuais e ex-funcionário do Fisco, em Goianésia. Quadrilha burlava avaliação de bens de imposto sobre herança, diz delegado.

Jotta Oliveira - com informações do G1 Goiás
Tribuna Piranhense
Cerca de 50 policiais integram operação contra fraudes fiscais em Goiás (Foto: Reprodução/ Polícia Civil)

A Polícia Civil deteve oito pessoas durante uma operação, na manhã desta terça-feira (19/01), contra uma quadrilha suspeita de fraudes tributárias em Goianésia, na região central de Goiás. O prejuízo aos cofres públicos estaduais é de cerca de R$ 5 milhões.

Coordenador da operação, o delegado Germano Castro informou que cinco pessoas foram presas preventivamente e outras três, conduzidas coercitivamente para a delegacia de Goianésia. Cinco mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

O delegado acredita que a quadrilha cometia a fraude desde 2012. Segundo a polícia, atuais e um ex-funcionário do Fisco, da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), reduziam irregularmente o valor do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Bens ou Direitos (ITCD).

“Eles validavam senhas irregulares que burlavam a avaliação de bens. Por exemplo, se alguém tinha um patrimônio de R$ 1 milhão e vai deixar isso para o herdeiro, o Fisco deve aplicar uma alíquota de 2% a 8%. Mas eles diziam que o patrimônio era de R$ 500 mil, emitindo uma via com valor inferior e registravam o inventário no cartório”, explicou Castro ao G1.

De acordo com o delegado, o valor cobrado para fraudar cada operação variava. Por isso, ainda não é possível calcular quanto o grupo lucrou com o esquema.

Os presos estão na delegacia de Goianésia. Ao todo, 50 policiais civis participaram da operação, entre delegados, agentes e escrivães.

Até a publicação desta matéria, a Sefaz ainda não havia se pronunciado sobre a operação.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento Tribuna Piranhense
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp