22/01/2016 às 10h41min - Atualizada em 22/01/2016 às 10h41min

Saiba quais repelentes realmente protegem contra o Aedes aegypti

Cientistas e médicos ainda não sabem o tamanho exato do perigo do zika vírus, mas já sabem como se proteger do mosquito que transmite a doença.

Do G1
(Foto: Reprodução)

Zika vírus: um país inteiro em estado de alerta! Cientistas e médicos ainda não sabem o tamanho exato do perigo, mas já sabem o que você deve fazer pra se proteger do mosquito que transmite a doença. Usar o repelente é fundamental, mas qual? Os infectologistas Caio Rosenthal e Arthur Timmerman e o ginecologista e obstetra Heron Werner Jr. tiraram as principais dúvidas.

Repelentes
Uma vez que o mosquito existe, nos resta tentar afastá-los da gente. A Anvisa aprova três princípios ativos de repelentes, o que os diferencia é o tempo de ação:

IR3535 – 4h
DEET – 6h-8h (com concentração de 20%)
ICARIDINA – 10h

Sintomas
Uma em cada cinco pessoas contaminadas por zika pode sentir:
- Febre
- Mal estar
- Manchas vermelhas na pele com coceira
- Conjuntivite
- Dores articulares

Esses sintomas duram de cinco a sete dias, depois desaparecem. A maioria das pessoas contaminadas não tem sintomas.

Hábitos do mosquito Aedes
- Aparece mais no período da manhã e do meio para o fim da tarde.
- Prefere ambientes quentes
- Tem hábitos rasteiros, não ultrapassa 1,5 m de altura.
- Gosta de ficar escondido em cortinas, embaixo do sofá, armários e camas.
- Quando pica a nossa pele, normalmente não dói como a picada do pernilongo Culex, por exemplo. Isso porque o Aedes tem uma espécie de anestésico na saliva, que faz a gente não sentir a picada. Sentimos mais o mosquito pousar do que a picada.
- Aquele mosquito que voa alto, que pica a gente à noite, que fica zunindo no ouvido, normalmente não é o Aedes.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp