07/04/2016 às 09h21min - Atualizada em 07/04/2016 às 09h21min

Secretaria da Saúde antecipa Campanha de Vacinação contra Influenza em Goiás

Do Goiás Agora
(Foto: Reprodução)

“Temos que nos prevenir”. Esta foi a mensagem do secretário da Saúde, Leonardo Vilela, durante a coletiva de imprensa, nesta quarta-feira (6/04), sobre a antecipação da Campanha de Vacinação Contra a Influenza 2016 em Goiás, que tem início no próximo dia 12. Na entrevista, o secretário também divulgou os novos números de H1N1 no Estado, confirmando 5 mortes pela doença neste ano, e destacou a reativação do Comitê Estadual de Enfrentamento à Influenza A, que teve a primeira reunião.

“Precisamos ligar o sinal de alerta. Não podemos deixar a doença se alastrar, por isso estamos tomando todas as medidas estratégicas como a antecipação da campanha de vacinação, revisão do Plano Estadual de Contingência da Síndrome Gripal e Síndrome Respiratória Aguda Grave - SRAG (que fala sobre vigilância, diagnóstico e assistência medicamentosa), retomada do Comitê para discutir o assunto e capacitação dos profissionais de Saúde sobre o correto manejo clínico”, diz. Vilela também lembrou que com a aplicação da vacina e o repasse de informação à população sobre as medidas mais eficazes de prevenção, como lavar as mãos e evitar aglomeração, é possível evitar um risco de epidemia.

Campanha antecipada
Prevista inicialmente para acontecer entre os dias 30 de abril e 20 de maio, a campanha em Goiás terá início na próxima terça-feira, 12 de abril, em Goiânia e Região Metropolitana de Goiás, Regional de Saúde Pirineus – sede em Anápolis – e Região Centro Sul – sede em Aparecida de Goiânia -, num total de 61 municípios. A partir do dia 18 de abril, a vacinação será realizada nos demais 185 municípios, prosseguindo até o dia 20 de maio. Em Goiânia, todos os 86 postos de vacinação aplicarão a vacina.

A meta é vacinar em todo o Estado 80% da população que integra o grupo de risco, que corresponde a cerca de 1,5 milhão de pessoas. Segundo o secretário, o Ministério da Saúde repassará a Goiás 1,6 milhão de doses da vacina até maio. “A vacinação é a ação mais importante na redução de mortes por influenza, por isso é importante que os grupos prioritários se vacinem”, alerta Leonardo Vilela.

A campanha abrange os grupos de risco: crianças de 6 meses a menos de 5 anos, pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, puérperas, população privada de liberdade e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais. É importante alertar que após receber a vacina, a pessoa demora cerca de duas semanas para ficar protegida contra o vírus.

Boletim de Influenza
Na entrevista coletiva, foram divulgados também novos números do Boletim da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). No Boletim, que notifica casos de 3 de janeiro a 2 de abril deste ano, foram confirmados no Estado dez casos de H1N1, com cinco mortes. As confirmações foram em Goiânia (2 casos), Cachoeira Alta (1 caso), Quirinópolis (1 caso) e Rio Verde (3 casos), Caldas Novas (1), Ouvidor (1) e Planaltina (1). As mortes ocorreram em Goiânia (1 morte), Rio Verde (1), Caldas Novas (1), Planaltina (1) e Ouvidor (1). Segundo a área técnica da Secretaria da Saúde, das cinco mortes, três estão inseridas no grupo de risco.

A SES recebe a notificação compulsória também da SRAG, que é um quadro clínico caracterizado pela presença da síndrome gripal associada a pelo menos um dos seguintes sinais e sintomas: dispneia, desconforto respiratório, piora nas condições clínicas das doenças de base e pressão baixa. Essa síndrome é causada por diversos agentes, entre eles o vírus da influenza H1N1.

Até o dia 02 de abril, os municípios goianos notificaram 93 casos de SRAG. Foram confirmadas 24 mortes provocadas por complicações da Síndrome, entre as quais incluídos as cinco mortes causadas por H1N1. O Boletim de SRAG apresenta os casos confirmados de influenza A e B, além de quadros comparativos entre os anos de 2014 e 2015 e pode ser conferido no endereço eletrônico: http://www.conectasus.go.gov.br/indicadores-de-saude. O Boletim será divulgado diariamente no site da SES com o objetivo de ampliar o monitoramento dos casos da doença.

Comitê de Enfrentamento à Influenza H1N1
Antes da coletiva, houve a primeira reunião deste ano do Comitê Estadual de Enfrentamento à Influenza H1N1. A intenção do Comitê é buscar soluções com a articulação de várias entidades ligadas à área da saúde. “Buscamos envolver todas as instituições ligadas à prevenção, tratamento e de pesquisa, como as secretarias municipais de Saúde, hospitais de referência e universidades, na tentativa de fazer uma ampla discussão para impedir o aumento dos casos da doença”, concluiu o secretário Leonardo Vilela. Entre os assuntos discutidos estão a distribuição de medicamentos para todas as regionais de Saúde, o papel dos hospitais de referência, como o Hospital de Doenças Tropicais (HDT) e Hospital Materno Infantil (HMI) e qualificação do protocolo de tratamento da doença.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp