26/01/2017 às 11h42min - Atualizada em 26/01/2017 às 11h42min

Seduce decide extinguir todas as subsecretarias de educação do interior de Goiás

Governo já havia informado que outras 25 seriam fechadas até fevereiro. Secretaria de Educação informou que apresentará novo plano de gestão.

Com informações do G1 Goiás
(Foto: Reprodução)

A Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce) vai extinguir as últimas 15 subsecretarias do interior do estado. Novo anúncio foi feito na última terça-feira (24/01), mas o órgão já havia divulgado que, das 40 unidades que existem, 25 seriam fechadas até fevereiro, portanto, após medidas, não restará nenhuma regional.

Conforme o anúncio da Seduce, o objetivo das mudanças é economizar recursos financeiros, que devem ser investidos nas escolas, e modernizar a administração. Segundo texto, “a secretaria vai enviar à Assembleia Legislativa do Estado de Goiás um novo modelo de gestão regional com base em critérios rigorosamente técnicos”.

A Seduce reforça que as mudanças não afetarão as aulas, que começaram na última segunda-feira (23) e seguem normalmente.

O governador de Goiás, Marconi Perillo, defendeu a diminuição de gastos. “Com a informática, com a inovação tecnológica, não há mais necessidade de ter órgãos presenciais. O que nós queremos é que os professores estejam em sala de aula e queremos diminuir despesas”, afirmou.

Reclamações
Professores e pais de alunos revelam que ficaram insatisfeitos com o anúncio e acreditam que terão dificuldades para resolver problemas das escolas após o fechamento das regionais.

Reginaldo Almeida Alves, pai de um estudante do ensino público estadual em Rio Verde, no sudoeste goiano, relata que não concorda com a mudança. “Com certeza vai ficar difícil, porque nem todo mundo pode sair daqui para ir a Goiânia resolver as coisas. Se aqui não tiver [subsecretaria] complicou”, desabafou.

O diretor de uma escola estadual de Mineiros, Rodrigo Alves, avalia que a mudança representa um retrocesso em uma conquista da cidade e da região. Ele afirma que pode ter problemas se precisar resolver questões administrativas.

“Dificulta porque muitas coisas que eram resolvidas aqui, agora a gente vai ter que se deslocar. Vai atrasar muito nosso trabalho, a agilidade que a subsecretaria proporciona para todos nós. É um retrocesso. São 24 anos que a gente está perdendo de independência”, disse.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Goiás (Sintego), Bia de Lima, também acredita que a extinção das subsecretarias pode prejudicar as escolas do interior de Goiás.

“Tem um problema administrativo de uma escola, vai procurar quem, se não as subsecretarias? Não é fechando as subsecretarias que nós vamos dizer que estamos fazendo economia. A que custo seria esta economia?”, defendeu.

Economia
Após anunciar o fechamento das primeiras 25 unidades, a secretária de educação do estado, Raquel Teixeira, garantiu que a economia é de cerca de R$ 3 milhões por mês, que devem ser investidos em outras áreas da educação.

“Para resolver questões administrativas tudo vai ser digitalizado [...]. O que será economizado, estamos calculando cerca de R$ 3 milhões [por] mês, um recurso que vai permitir melhorar as escolas”, disse em entrevista à TV Anhanguera.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp