27/01/2017 às 12h00min - Atualizada em 27/01/2017 às 12h00min

Exame para caso de febre amarela em Piranhas dá negativo

Segundo a pasta, a vítima é um homens e viajou para Minas Gerais, onde há um surto da doença. O estado de saúde do paciente é estável.

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Reprodução)

Após analisar os resultados de exames realizados em um paciente com suspeita de ter contraído febre amarela, em Piranhas, na região oeste do Estado, a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás (SES-GO) afirmou que não há sinais da doença. As informações foram divulgadas pelo Laboratório de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (LACEN), na última quarta-feira (25/01). A vítima suspeita é um andarilho que estava em Minas Gerais e que chegou ao Hospital Municipal de Piranhas, no dia 21 de janeiro, com sintomas semelhantes ao de febre amarela.

Segundo a gerente de vigilância epidemiológica da SES-GO, Magna Maria de Carvalho, como o primeiro exame foi feito bem no começo, ainda será aguardado o resultado de um segundo, para confirmar o resultado negativo”, afirmou a gerente.

Em coletiva na manhã desta sexta-feira (27/01), Magna tranquilizou a população. “Apesar de nosso Estado ser um Estado endêmico para febre amarela sempre temos registro de casos, nós estamos em uma situação, com certeza, muito mais confortável que outros Estados. Temos uma cobertura alta para febre amarela, de 94% cobertura. A maioria absoluta da população está vacinada”, afirmou a gerente.

A melhor forma de evitar a febre amarela é por meio da vacina, utilizada no Brasil desde 1937 e disponível gratuitamente nos postos de saúde da rede pública.  Ela compõe o Calendário Nacional de Vacinação e é altamente eficaz e segura para o uso a partir dos nove meses de idade em residentes e viajantes a áreas com recomendação de vacina ou a partir de seis meses de idade em situações de surto da doença. A vacina confere imunidade em 95% a 99% dos vacinados.

Em nota enviada ao Tribuna Piranhense, a secretaria municipal de Saúde de Piranhas, Samara Aparecida Melo Rezende Franco, disse que todos os postos do programa Estratégia Saúde da Família (ESF) tem vacinas contra a febre amarela à disposição da população. São quatro ESF’s, localizados no Setor Santa Luzia, Setor Sudoeste, Centro e Setor Sul.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Piranhas (SMSP), as crianças precisam tomar duas doses da vacina contra febre amarela, sendo a primeira aos 9 meses de vida e a segunda de reforço aos 4 anos de idade. Pessoas com 60 anos ou mais, gestantes ou lactantes e crianças de até 6 meses só podem ser vacinadas após avaliação médica. As demais faixas etárias devem seguir o calendário vacinal do Ministério da Saúde.

A SMSP lembra ainda que quem já tomou as duas doses da vacina não precisa se vacinar novamente, devido já não mais existir a orientação para reforço a cada 10 anos. A recomendação ocorre apenas para quem não tomou a segunda dose ou nunca se vacinou e para pessoas oriundas de outros Estados onde não era recomendada a vacina. Quem tomou uma dose ou nunca se vacinou devem procurar as unidades de saúde. A proteção só ocorre 10 dias após a vacinação.

Outros casos em Goiás

Existem outros dois casos suspeitos de febre amarela em Luziânia e Novo Gama sendo investigados. Em um deles o paciente morreu.

Em Novo Gama, a paciente é uma gestante de 34 anos que continua internada. No terceiro caso, o paciente, de 58 anos, morreu em Luziânia.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp