15/05/2014 às 09h07min - Atualizada em 15/05/2014 às 09h07min

Iris dá sinais de que não desistiu

Ex-governador disse acreditar que lideranças do PMDB possam rever rumos da sigla até a convenção

Por Jotta Oliveira - Do Tribuna Piranhense, em Piranhas
De O Popular

O ex-governador Iris Rezende reforçou ontem os sinais de que se mantém no páreo pela indicação da candidatura ao governo estadual dentro do PMDB, ao afirmar que acredita que as lideranças do partido poderão rever, até a convenção, os rumos da sigla na campanha eleitoral. “Eu acho que, devagarzinho, esses que se entusiasmaram tanto – principalmente os nossos deputados federais e estaduais –, começarão a entender o sentimento popular”, afirmou em entrevista, ao final de palestra na Faculdade Araguaia sobre os 50 Anos do golpe militar.

Assim como em evento no seu escritório político na terça-feira, Iris repetiu ontem as críticas indiretas ao pré-candidato do PMDB ao governo, o empresário José Batista Júnior, conhecido como Júnior Friboi, ao falar de candidatos que gastam muito dinheiro na campanha.

Diante de um auditório lotado de estudantes, o diretor-geral da faculdade, Arnaldo Freire, dirigiu uma pergunta a Iris a respeito do tema da palestra e emendou com um pedido de que ele “repense” a desistência da candidatura porque “Goiás precisa de um líder”. O ex-governador fez uma brincadeira e respondeu a pergunta ignorando o comentário sobre candidatura. “Agora o diretor me apertou sem abraçar. A política é um pouco complexa”, afirmou.

Ao final do evento, porém, disse em entrevista que ouve pedidos como o de Freire todos os dias, “de cedo até a noite”. Foi quando disse esperar a sensibilidade das lideranças do partido em relação ao “sentimento popular”. Questionado se isso representa esperanças de voltar a ser colocado como candidato ao governo, ele reforçou: “Não quero falar sobre hipótese. Eu espero é que o partido possa assumir uma posição que corresponda às expectativas do nosso povo”.

No discurso no evento, Iris incentivou os estudantes a utilizarem as redes sociais para falar de política e de maus políticos. “Não devemos eleger mais quem não cumpre o que prometeu. Vamos pesquisar um pouco, não custa. Vamos ver quem é que pega um governo e vai passear, vai roubar. Nossa arma é o voto”, disse. “Tem o Twitter aí. Vamos mandar essa gente às favas”, completou, para no final repetir: “Vamos tuitar, vamos tuitar. Bota o Twitter para funcionar”.

Iris não tem perfil na rede social. Na campanha de 2010, o peemedebista fez perfis mantidos pela assessoria.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp