03/08/2017 às 15h16min - Atualizada em 03/08/2017 às 15h16min

Marido de grávida iporaense assassinada reafirma versão do crime durante reconstituição

O laudo da perícia deve ficar pronto na segunda ou terça-feira da próxima semana, diz o delegado

De O Popular
(Foto: Reprodução)

O marido da representante comercial Vanessa Camargo, 28 anos, Horácio Neto, participou, na manhã desta quinta-feira (3/08), de reconstituição do crime no local onde a mulher foi morta com um tiro na cabeça na frente do filho de 2 anos.

Segundo o delegado titular de Iporá, Ramon Queiroz Rodrigues Silva, além de Horácio, estava presente uma equipe da Polícia Técnico Científica. “A única testemunha participante foi o marido”, pontuou Ramon.

De acordo com Ramon, durante toda a reconstituição o marido de Vanessa reafirmou a versão apresentada quando ocorreu o crime. “Ele estava tranquilo, cabisbaixo, mas respondeu a todas as perguntas e mostrou como ocorreram os fatos”, afirmou o delegado.

A reconstituição foi realizada para que o marido demonstrasse como ocorreu o crime, desde o momento em que Horácio diz ter sido abordado até o período em que os assaltantes teriam largado o carro, abandonado e saído em fuga. “O trabalho da Polícia-Técnico Científica foi para tentar confirmar a possibilidade dessa versão”, finalizou o delegado.

De acordo com o relato de Horácio Neto para a Polícia Civil, a cerca de 15 quilômetros de Iporá, quando passava na altura do Ribeirão da Lage pela GO-060, dois homens em uma motocicleta emparelharam com o carro e o garupa apontou uma arma de fogo para ele, exigindo que parasse. O empresário parou o carro e foi rendido pelo homem armado, que assumiu a direção do veículo, retornando em direção a Iporá. O carro foi seguido pelo outro homem de moto.

Neto informou que a esposa começou a discutir com o rapaz, que atirou na cabeça dela. Depois do crime, o rapaz entrou em uma estrada de terra, abandonando o carro com as vítimas e fugindo na garupa da motocicleta. O delegado titular de Iporá, Ramon Queiroz Rodrigues Silva, marcou a reconstituição do crime para que o marido descreva como a família foi rendida e a mulher morta. Segundo ele, todas as hipóteses estão sendo investigadas pela Polícia Civil.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp