19/09/2017 às 14h49min - Atualizada em 19/09/2017 às 14h49min

Em Goiás, Secretaria e Ministério lançam aplicativo para profissionais de saúde

Do Goiás Agora

A Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO), em parceria com o Ministério da Saúde, criou o aplicativo Sinan Relatórios. A ferramenta é utilizada pelos profissionais de saúde dos municípios e estados em todo o país, e possibilita aos usuários, o levantamento de dados automatizados nos cálculos de indicadores em saúde relacionados ao Sinan. A novidade estará disponível no site do MS, a partir de outubro, no endereço: www.saude.gov.br/sinanweb.

O software proporciona aos técnicos da Vigilância em Saúde, a possibilidade de gerar relatórios com o resultado dos indicadores do Pacto pela Saúde – conjunto de reformas institucionais do SUS pactuado entre as três esferas de gestão: União, Estados e Municípios. O aplicativo, também, gera outros relatórios, como os de regularidade na alimentação do Sinan, Contrato Organizativo de Ação Pública da Saúde e relatórios do Programa de Qualificação das Ações de Vigilância em Saúde (PQA-VS).

Para o analista de sistemas da SES-GO, João Henrique, a experiência foi incrível. “Foi uma experiência fantástica, não só um ganho de conhecimento técnico em desenvolvimento, mas também, sobre como é tratada a inteligência dos indicadores da saúde no âmbito nacional”, diz o analista.

Segundo o coordenador do Sinan, Daniel Batista, os indicadores estão contidos nos principais instrumentos de gestão e planejamento do SUS – Pactuação Interfederativa 2017-2021 e PQA-VS.

Propostas futuras serão apresentadas ao Sinan pelos analistas, Josemar Ricon e Daniel Batista. “Com certeza estamos dispostos a contribuir para o projeto. Levaremos os indicadores do Sinan Relatórios para o Business Intelligence em nível estadual e municipal”, diz Josemar.

Sinan
O Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan é alimentado, principalmente, pela notificação e investigação de casos de doenças e agravos que constam da lista nacional de doenças de notificação compulsória, mas é facultado a estados e municípios incluir outros problemas de saúde importantes em sua região.

Sua utilização efetiva permite a realização do diagnóstico dinâmico da ocorrência de um evento na população; podendo fornecer subsídios para explicações causais dos agravos de notificação compulsória, além de vir a indicar riscos aos quais as pessoas estão sujeitas, contribuindo assim, para a identificação da realidade epidemiológica de determinada área geográfica.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp