29/11/2017 às 16h20min - Atualizada em 29/11/2017 às 16h20min

Prefeitura de Piranhas pedirá autorização do Legislativo para militarizar a Escola Gercina Teixeira

Projeto está em fase final de elaboração. Presidente da Câmara vê iniciativa com bons olhos, mas vai esperar a documentação ser enviado ao Legislativo para expor seu posicionamento.

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Portal da Câmara Municipal de Piranhas)

A Prefeitura de Piranhas deve apresentar um projeto de lei solicitando a autorização da Câmara Municipal de Vereadores para militarizar a Escola Municipal Gercina Teixieira. O anúncio foi feito ao Tribuna Piranhense pela secretaria municipal de educação Karlla Chistine Fonseca Silva durante a tarde desta terça-feira (28/11).

Segundo Karlla Chistine, o projeto, que pretende implantar a modalidade inédita na rede municipal de ensino da região oeste de Goiás, vem sendo elaborado há algum tempo. ”Já realizamos reuniões com os gestores escolares envolvidos, estamos tratando com os vereadores e o projeto pode ser votado pela Câmara Municipal em breve”, disse Karlla.

Por telefone, a secretaria municipal de Educação de Piranhas revelou, na manhã desta quarta-feira (29/11), que o Poder Legislativo pode receber o projeto de lei já nesta quinta-feira (30/11). “Ficamos até a madrugada de hoje revisando o projeto. Restam alguns detalhes para serem adequados e, provavelmente, protocolaremos o documento na Câmara até amanhã, para ele poder ser apreciado pelos parlamentares”, explicou Karlla.

O prefeito Eric Silveira (PP) vem trabalhando para trazer o modelo militar de educação para Piranhas desde o início de sua gestão, tendo, inclusive, buscado apoio do deputado estadual Virmondes Cruvinel (PPS), que inseriu o tema em um projeto de lei da Governadoria, datado de 3 de abril de 2017, reconhecendo oficialmente a transformação de 53 escolas estaduais em colégios da Polícia Militar.

A Lei nº 164, de 22 de junho de 2017, aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), chegou a transformar em escola militar o Colégio Estadual Francisco Magalhães Seixas, mas o governador Marconi Perillo (PSDB) vetou o ato, alegando violação ao artigo 21, parágrafo 1º, da Constituição Federal, segundo a qual não se admitirá aumento de despesas originariamente previstas nos projetos de iniciativa do Governo.

“Nós tentamos com o Governo do Estado, mas, por razões compreensíveis, não foi possível. Porém, a nossa gestão tem o objetivo de implanta a educação militarizada e estamos em busca deste objetivo”, relatou Eric ao Tribuna Piranhense.

Ainda de acordo com prefeito de Piranhas, desde que venceu as eleições em 2016, ele e sua equipe começaram a fazer pesquisas sobre um modelo de educação para a rede municipal de ensino piranhense. “Andei por diversas regiões, buscando um novo modelo para o nosso ensino e sempre ouvi sobre o sucesso da metodologia militar em várias partes do Estado e do Brasil”, conta.

Com 19 anos, o projeto de ensino militar em Goiás possui 46 unidades em todo o Estado, porém, somente em instituições administradas pela Secretaria Estadual de Educação.

Atualmente, existe uma iniciativa semelhante à proposta pelo Poder Executivo de Piranhas em andamento em Goiás. Em outubro deste ano, a Prefeitura de Quirinópolis conseguiu a aprovação para, a partir de 2018, uma de suas unidades escolares passar a ser comandada por militares sob a circunscrição da Secretaria Municipal de Educação local.

“Estivemos em Quirinópolis, vimos o que eles estão fazendo por lá e foi possível absorver muita coisa positiva. A militarização das escolas pode, realmente, servir como uma resposta à crescente violência no ambiente estudantil, seja contra professores, servidores ou entre os próprios alunos. É possível citar experiências de sucesso, em Goiás e em outras localidades, que nos entusiasma ainda mais. Nosso objetivo é dar ênfase à disciplina e ao respeito no ambiente escolar, ajudando a melhorar o desempenho de nossos alunos”, pondera o prefeito Eric.

A Prefeitura de Piranhas ainda não divulgou a integra do projeto que será enviado à Câmara Municipal. Caso a militarização da Escola Municipal Gercina Teixeira seja aprovada pelos vereadores, o novo modelo já poderá ser aplicado em 2018.

Ouvido por nossa reportagem, o vereador presidente da Câmara Municipal de Piranhas, João Leones (PTB), informou ter conhecimento da ideia da administração municipal, mas que ainda não teve acesso ao teor do projeto. “O prefeito se reuniu com vereadores na última segunda-feira, mas eu estava em viagem e não pude participar. A iniciativa me parece boa, porém, só vou poder me posicionar após ter acesso ao projeto”, esclareceu João Leones.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento Tribuna Piranhense
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp