25/09/2018 às 13h19min - Atualizada em 25/09/2018 às 13h19min

Em Piranhas, mulher é encontrado morta em rio após denúncia anônima

Vítima era natural de Aparecida de Goiânia e vivia em Piranhas há pelo menos 10 anos

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Reprodução/Ilustrativa)

Uma mulher foi encontrada morta, boiando em um rio do município de Piranhas durante o final da tarde de segunda-feira (24/09). A vítima foi identificada como sendo Carla Bispo Guedes, de 38 anos, e seu corpo foi encontrado pela Polícia Militar (PM) após uma denúncia anônima.

De acordo com o boletim de ocorrência da PM, os militares em serviço foram acionados via 190 por volta das 18h20, quando receberam a informação de que um corpo havia sido visto no trecho do leito do Rio Piranhas localizado no Setor Santo Antônio. Ao chegar ao local indicado, os policiais encontraram o cadáver de Carla já em decomposição.

A PM ouviu um homem que esteve com Carla um dia antes de sua morta e, conforme relatos deste indivíduo que não foi identificado, ele viu a mulher pela última vez quando ela se banhava, na companhia de outras pessoas, no Rio Piranhas.

“Quando saíram para ir embora, notaram que Carla Bispo Guedes não estava, então pensaram que ela já havia ido embora”, diz um trecho do boletim de ocorrência da PM.

Ainda conforme os relatos da testemunha, ao perceber que Carla não dava notícias desde a visita ao rio, foram feitas tentativas de contato com a Polícia, mas, por motivos não revelados, não obteve sucesso.

“Quando voltou no local [Rio Piranhas], viu o corpo boiando em um poço, mas não avisou a Polícia”, relata a PM.

O corpo de Carla Bispo Guedes estava em um poço, próximo ao barranco do rio e foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) na manhã desta terça-feira (25/09). Uma autópsia será realizada para detectar as causas da morte. A Delegacia da Polícia Civil de Piranhas conduzirá as investigações.

Carla Bispo Guedes era natural de Aparecida de Goiânia vivia em Piranhas há pelo menos 10 anos. Nossa reportagem apurou que ela já foi presa em algumas ocasiões por furto e, por ser usuária de entorpecentes, ainda servia ao tráfico de drogas para sustentar o seu vício.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento Tribuna Piranhense
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp