26/02/2019 às 09h13min - Atualizada em 26/02/2019 às 09h13min

Policiais militares são presos suspeitos de matar e fraudar situação de confronto em Aragarças

Prisões foram realizadas na manhã desta terça-feira (26)

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Reprodução/Ilustrativa)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por meio do Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP) e da Promotoria de Justiça de Aragarças, em conjunto com a Corregedoria da Polícia Militar (PM), cumpriu, na manhã desta terça-feira (26/02), dois mandados de prisão temporária contra dois policiais militares lotados na 4ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM), de Aragarças.

Os mandados de prisão foram expedidos pelo juízo da comarca de Aragarças no âmbito de procedimento investigatório criminal do MP-GO que apura a prática de homicídio qualificado contra Jefferson Alves Martins. O crime ocorreu no dia 9 deste mês. Também é apurada a suspeita de fraude processual por parte dos militares investigados.

O MP-GO apura as circunstâncias da morte de Jefferson, que teria comunicado a mãe e a companheira, por meio do aplicativo WhatsApp, sobre sua prisão pelos policiais militares. Momentos depois, foi morto, alvejado por quatro disparos de arma de fogo. Essa situação gerou a revolta de alguns populares na região que, no dia seguinte aos fatos, atearam fogo na garagem da secretaria de obras da prefeitura de Aragarças como forma de protesto. Os policiais presos são investigados pela prática de homicídio qualificado e por terem forjado situação de confronto policial com a vítima.

* Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento Tribuna Piranhense
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp