10/04/2019 às 17h21min - Atualizada em 11/04/2019 às 08h14min

O Brasil é um dos países mais difíceis do mundo para abrir e fechar negócios, segundo um relatório da McKinsey 67% fecham após 5 anos

A McKinsey & Company, empresa americana reconhecida por ser líder mundial no mercado de consultoria empresarial, publicou esta semana um relatório sobre a economia digital brasileira; os dados demonstram que o Brasil oferece muitas oportunidades interessantes e muitos desafios; oportunidades de inovação para impulsionar a produtividade, o crescimento e os avanços sociais.

DINO - http://www.scoreplan.com.br
http://www.dino.com.br/releases/o-brasil-e-um-dos-paises-mais-dificeis-do-mundo-para-abrir-e-fechar-negocios-segundo-um-relatorio-da-mckinsey-67-fecham-apos-5-anos-dino890202404131
Gráfico de Mortalidade das Empresas Brasileiras


A McKinsey & Company, empresa americana reconhecida por ser líder mundial no mercado de consultoria empresarial, publicou esta semana um relatório sobre a economia digital brasileira; incluindo sua inovação, cenário digital e empresarial. Para construir o relatório a McKinsey fez um compilado de informações públicas e dados privados selecionados, além de contar com o apoio do Brasil no Vale do Silício, um movimento liderado por estudantes que começou na Universidade de Stanford.

Os dados demonstram que o Brasil oferece muitas oportunidades interessantes e muitos desafios; oportunidades de inovação para impulsionar a produtividade, o crescimento e os avanços sociais.

 

Desafios Constatados pelo relatório:

▪ A produtividade cresceu muito pouco considerando a última década;
▪ Houve um boom demográfico e de força de trabalho no país, o que significa que aumentar a produtividade se faz necessário para impulsionar o crescimento;
▪ Falta inovação, patentes e trabalhos especializados;
▪Ausência de gigantes da inovação e tecnologia entre as empresas de alto desempenho.


Os dados indicam que os brasileiros tendem a ser empreendedores, no entanto apenas uma pequena parcela destes empreendimentos está focada em inovação. As Startups do país vão na contramão deste cenário e tem impulsionado o movimento; já que os investimentos de investidores-anjo e de capital de risco, por exemplo, continuam a crescer a taxas elevadas, superando a marca de US $ 1 bilhão em 2018, além disso, nos últimos dois anos o Brasil revelou 8 unicórnios (Startups unicórnio são empresas cuja avaliação de preço no mercado superam US$ 1 bilhão, antes de abrir seu capital em bolsas de valores).

Um dos principais fatores que leva o empreendedor a não focar os seus esforços no digital e na inovação é que o Brasil continua sendo um dos lugares mais difíceis do mundo para abrir e fechar negócios. Segundo o relatório, a taxa de mortalidade das empresas brasileiras é alta; 67% dos negócios fecham em cinco anos por:

▪ Falta de clientes
▪ Falta de capital
▪ Falta de conhecimento
▪ Impostos
▪ Inadimplência
▪ Concorrência
▪ Burocracia
▪ Marketing falho
▪ Crises
▪ Falta de Crédito
▪ Outros

Uma informação importante que pode ser incrementada aqui é de que; pesquisas e estudos realizados pelo Sebrae em 2016 apontavam que a falta de Planejamento era a causa número 1 do fracasso dos negócios no Brasil. Pode-se dizer então, ao analisar o contexto, que os fatores apontados pelo relatório da McKinsey como causas de fechamento dos negócios; falta de clientes, falta de capital, falta de conhecimento, etc. podem também ser resumidos em: Falta de Planejamento.

Nesse sentido o relatório mostrou outro dado alarmante sobre o Brasil: o custo de fechar uma empresa pode ser até 44% maior do que o de abrir. Logo, planejar estrategicamente a fim de garantir, não só crescimento, mas também a continuidade do negócio - é imprescindível.

Os dados coletados pela McKinsey reconheceram que no Brasil há um ecossistema de Startups composto por mais de 10.000 Startups, concentradas nas regiões Sul, Sudeste e em parte do Nordeste do país; estando, o estado de São Paulo na liderança, e sendo seguido pelo estado do Rio Grande do Sul.

Uma das Startups, localizada em Caxias do Sul no Rio Grande do Sul, e que inclusive foi citada no relatório, tem justamente como core business ajudar as empresas a melhorar a sua performance através de planejamento e execução de estratégias; a Scoreplan.

A Startup desenvolveu uma plataforma web, simples e completa, que ajuda gestores a alcançarem seus objetivos de negócio através de uma gestão visual e ágil. Embasado em metodologias globalmente difundidas, o Scoreplan possibilita a definição de Objetivos Estratégicos, Indicadores, Metas e Plano de Ação, e entrega ao cliente um acompanhamento exclusivo que se utiliza de painéis, gráficos, relatórios e alertas, que garantem a execução das estratégias, bem como o atingimento dos objetivos e metas.

Atualmente a Startup já tem mais de 60 clientes espalhados em 10 estados brasileiros; empresas dos mais variados portes e ramos, tendo em seu portfólio inclusive instituições públicas.

"O Scoreplan tem nos auxiliado a focar, de fato, na estratégia de forma muito assertiva, fazendo com que os gestores mantenham o pensamento no longo prazo, podendo, a qualquer momento, replanejar as ações de uma forma muito ágil", diz Alex Morozesk - Controller da Time Now Engenharia e cliente da Scoreplan.



Website: http://www.scoreplan.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp