26/04/2019 às 11h19min - Atualizada em 26/04/2019 às 11h19min

Ministério Público aciona prefeito de Piranhas e servidor por concessão de gratificações indevidas

MP-GO quer condenação por improbidade e que o prefeito Eric Silveira fique proibido de conceder, simultaneamente, gratificação de função e gratificação de trabalhos extraordinários a um mesmo servidor

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Divulgação/DCPP)

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) propôs ação civil pública contra o prefeito de Piranhas, Eric Silveira (Progressistas), e o servidor municipal João Coelho Filho por ato de improbidade administrativa, decorrente da concessão de gratificações indevidas pagas pelo gestor ao funcionário público. No processo, além da condenação pela improbidade, é pedido que o prefeito fique proibido de conceder simultaneamente a um mesmo servidor gratificação de função e gratificação de trabalhos extraordinários, por incompatibilidade das respectivas verbas.

No processo, o promotor de Justiça Luís Gustavo Soares Alves, responsável pelo caso, relata que João Coelho foi investido em cargo público de analista de licitações, de provimento efetivo, em 2014, lotado atualmente no gabinete do prefeito, tendo sido levada ao MP-GO a notícia de que ele recebia indevidamente benefícios como gratificações e adicionais.

Questionada pela promotoria local, a Prefeitura de Piranhas afirmou pagar duas gratificações a João Coelho – a de função e a de trabalhos extraordinárias –, o que teria previsão no Estatuto dos Funcionários Públicos Civis Municipais. O Ministério Público, então, mostrou à administração municipal esclarecimentos sobre a irregularidade na concessão das gratificações que vinham sendo pagas ao servidor, entre março de 2017 e setembro de 2018, uma vez que, já exercendo função comissionada e recebendo gratificação correspondente, torna-se incabível o recebimento de horas extras, por incompatibilidade de verbas.

Na época, o promotor também oficiou aos dois acionados para que eles informassem interesse na celebração de termo de ajustamento de conduta com o MP-GO, visando à restituição ao erário dos valores pagos indevidamente a título de gratificação pela prestação de serviços extraordinários. Em resposta, o prefeito rejeitou a proposta, enquanto o servidor sequer prestou qualquer informação, motivando, portanto, a propositura da ação.

Procurado pelo Tribuna Piranhense, o prefeito Eric Silveira disse que ainda não foi notificado sobre esta ação e que somente irá se pronunciar após ter conhecimento do teor das alegações do Ministério Público.

Até o momento desta publicação, nossa reportagem não conseguiu contato com o servidor João Coelho Filho.

*Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp