09/05/2019 às 10h04min - Atualizada em 09/05/2019 às 10h04min

TJ-GO concede habeas corpus e policial civil de Piranhas acusado de crimes é colocado em liberdade

Maurício Gomes Nunes foi preso em abril pela Corregedoria da Polícia Civil após a descoberta de indícios da prática de corrupção passiva, associação criminosa e denunciação caluniosa

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Juliana Oliveira/Tribuna Piranhense)
O desembargador presidente da 2ª Câmara Criminal do Tribuna de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), Luiz Claudio Veiga Braga, concedeu habeas corpus ao policial civil Maurício Gomes Nunes, preso no último dia 12 de abril em Piranhas, acusado da prática de corrupção passiva, associação criminosa e denunciação caluniosa. A decisão de soltura foi proferida na tarde de terça-feira (7/05).
 
Maurício foi alvo de uma operação da Corregedoria da Polícia Civil de Goiás, que prendeu o agente e outro homem, Velson Ferreira dos Santos, vulgo Piau, que é acusado dos mesmos crimes que embasaram a prisão do policial.
 
Maurício Gomes Nunes atuou por vários anos na Delegacia da Polícia Civil de Piranhas – onde os supostos atos criminosos teriam ocorrido –, mas, atualmente, por conta das suspeitas, tinha sido afastado da unidade e transferido para Aragarças.
 
Os fatos que culminaram na detenção de Maurício e Piau ocorreram em Piranhas, segundo a Corregedoria da Polícia Civil, porém os detalhes sobre a conduta dos dois não foram revelados.
 
A investigação está sendo conduzida pelo 2º Cartório de Investigação Preliminar da Corregedoria da Polícia Civil, sob coordenação do delegado corregedor Gil Fonseca Bathaus.
 
Maurício estava preso em uma cela da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), em Goiânia. Já Velson Ferreira dos Santos, o Piau, foi levado para a Unidade Prisional de Caiapônia.
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento Tribuna Piranhense
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp