16/07/2019 às 17h07min - Atualizada em 16/07/2019 às 17h07min

Em Piranhas, adolescente denuncia ter sido vítima de estupro coletivo durante festa

Menina, de 15 anos, registrou denúncia no Conselho Tutelar e na Polícia Civil. Suspeita é que 8 homens participaram do crime

Tribuna Piranhense - em Piranhas
Jotta Oliveira
(Foto: Arquivo/Tribuna Piranhense)

Uma adolescente de 15 anos denunciou ter sido vítima de estupro coletivo durante uma festa no Assentamento São Domingos, em Piranhas, na região oeste de Goiás. Ela registrou o caso no Conselho Tutelar e na Polícia Civil. De acordo com o delegado Ricardo Galvão, os envolvidos no suposto crime estão sendo ouvidos nesta terça-feira (16/07). A suspeita inicial é que oito homens participaram da ação criminosa.

O delegado informou que o estupro coletivo teria ocorrido durante uma festa realizada em junho, que durou quatro dias no Assentamento São Domingos. Segundo Galvão, durante o período em que esteve lá, a adolescente fez uso de bebidas alcoólicas e narguilé. A adolescente relatou que estava desacordada quando o estupro aconteceu, pois teria sido drogada pelos suspeitos.

“Há uma suspeita de que tenham colocado alguma substância alucinógena no narguile, o que pudesse deixar a pessoa dopada", afirmou o delegado.

Ainda segundo Galvão, cerca de um mês depois do ocorrido, surgiram comentários de pessoas que estavam na festa de que a adolescente teria sido abusada sexualmente por vários homens.

"Aproximadamente oito pessoas que estavam ali aproveitando desse estado, em tese, alucinógeno, que ela estava para ter relações sexuais com ela. Diante disso, os pais dela, ao saberem dessa notícia, vieram até a delegacia fazer o boletim de ocorrência. Já ouvimos os pais e a adolescente"

O delegado Ricardo Galvão também investiga a possível existência de um vídeo do estupro coletivo.

"Há comentários sobre a possível existência de um vídeo. Uma pessoa teria filmado os outros participantes da relação sexual enquanto ela estava nesse estado, podemos dizer, de coma. O vídeo ainda não chegou até a polícia. Estamos atrás para saber se essa filmagem procede ou não. A gente espera fazer algumas apreensões e, se for o caso, fazer perícia para saber se a gente consegue resgatar esse vídeo", afirmou.

*Com informações do G1 Goiás

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento Tribuna Piranhense
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp