20/05/2020 às 09h08min - Atualizada em 20/05/2020 às 09h08min

Agrodefesa suspende imunização contra raiva dos herbívoros em Piranhas, Bom Jardim de Goiás, Caipônia e outros 118 municípios por falta de vacinas

Decisão foi tomada nesta terça-feira (19)

Tribuna Piranhense - com informações da Agrodefesa
Jotta Oliveira
(Foto: Reprodução)
A vacinação obrigatória contra a raiva dos herbívoros em Bom Jardim de Goiás, Caiapônia, Piranhas e outros 118 municípios de Goiás considerados de alto risco para a doença, que é realizada no mesmo período de imunização contra a febre aftosa, foi suspensa pelo Governo Estadual por meio da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa). O motivo é a falta de vacinas no mercado.

Clique aqui e veja a relação dos 121 municípios classificados como de alto risco para a raiva em Goias
 
A decisão foi anunciada nesta terça-feira (19/05), durante reunião virtual realizada pelo presidente José Essado com diretores, gerentes, procurador setorial e assessores, para tratar de diversos assuntos administrativos e operacionais das áreas de defesa animal e vegetal.
 
José Essado disse que os relatos sobre a falta de vacinas contra a raiva ganharam força nos últimos dias, com informações provenientes de todas as Unidades Locais e Regionais da Agrodefesa. Como consequência, foi tomada a decisão de suspender a imunização e retirar a obrigatoriedade relativa a esta etapa (primeira de 2020) mesmo nos municípios de alto risco.
 
Contudo, se houver ocorrência de foco de raiva, a vacinação obrigatória se mantém, tanto na propriedade quanto num raio de 12 quilômetros do local onde for constatado o foco. O presidente da Agência observou que os pecuaristas que conseguiram vacinar estão com seus rebanhos protegidos e só têm a ganhar.
 
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...