26/08/2014 às 11h31min - Atualizada em 26/08/2014 às 11h31min

50 prefeitos da oposição apoiam Marconi

Aliados do ex-pré-candidato Júnior Friboi também integram grupo que quer reeleição de tucano.

Helton Lenine - Diário da Manhã

Ao completar 45 dias do primeiro evento oficial de sua campanha política, o governador Marconi Perillo (PSDB) já contabiliza apoio de mais de 50 prefeitos de partidos que integram coligações adversárias. A maioria pertence a siglas que sempre foram antagônicas ao PSDB em Goiás, como o PMDB, que reúne, atualmente, o maior número de prefeitos oposicionistas que aderiram ao projeto de reeleição de Marconi. O principal argumento que desponta na lista de razões pelas quais os prefeitos decidiram apoiá-lo: o caráter municipalista do governador.

Até agora, são pelo menos 18 prefeitos do PMDB (da coligação liderada por Iris Rezende), 15 dos 17 filiados ao DEM (da chapa irista), quatro do PSB (coligação de Vanderlan Cardoso), e dois do PRP (também ligados a Vanderlan), além de prefeitos do PTN, PSC e PT. Somente do partido do governadoriável Antônio Gomide são três petistas ao lado de Marconi. Prefeitos ligados ao ex-pré-candidato Júnior Friboi também afirmam que estão com o governador, como o de Iaciara, Aguinaldo Gomes Ramos, e o de Simolândia, José Neto, ambos do Pros.

Este quadro remete à campanha de 2010, quando cerca de 27 prefeitos do PP vieram, em debandada, apoiar o governador. À época, o Partido Progressista integrava a coligação de Vanderlan Cardoso, que era apoiado pelo então governador Alcides Rodrigues, que pertencia à sigla.

Os prefeitos que passaram a apoiar Marconi reconhecem e afirmam que “Goiás nunca esteve tão bem”, e se dizem cientes de que o Estado retomou o crescimento e se desenvolveu significativamente nesta gestão, a exemplo das outras administrações do tucano, alcançando números vultosos na economia, industrialização, geração de empregos e transformação da infraestrutura, com a recuperação de cinco mil quilômetros da malha rodoviária e construção de mais outros 2,5 mil.

Eles destacam, ainda, o grande salto na área da educação e na saúde, com a chegada das Organizações Sociais (OSs), que revolucionaram os padrões de excelência no atendimento da saúde pública estadual. Até mesmo os adversários de Marconi reconhecem o sucesso das OSs e afirmam que elas devem ser mantidas.

Parcerias

O aspecto mais lembrado pelos prefeitos é a marca municipalista das gestões de Marconi. Durante seus governos, cada um dos 246 municípios goianos foi atendido com obras, serviços e programas sociais, como aponta o prefeito de São João D’Aliança, Atos Ferronato (PSB): “Ele sabe trabalhar, corre atrás, levanta, não fica parado no tempo. Marconi ajuda Goiás e os municípios, principalmente, porque ajuda os prefeitos. Acolhe, atende as demandas. Não é um governador que só se preocupa com a Capital. Por todo canto de Goiás, vejo obras do governo estadual”, relata. “Entrei para a política para ajudar o meu povo, por isso, voto em Marconi novamente, porque Goiás precisa continuar com tantas obras e desenvolvimento”, afirma.

Prefeito de Turvelândia, Ailton Minervino (PMDB) diz que seu município sempre obteve apoio de Marconi enquanto governador. “Estou no meu segundo mandato e ele, mesmo sabendo que pertencia ao maior partido de oposição no Estado, ajudou Turvelândia atendendo as demandas da prefeitura. Minha cidade sempre foi administrada por peemedebistas e tenho que reconhecer que nunca vi um governador com tanta garra para trabalhar e tão parceiro dos prefeitos”, declara.

Quem também reconhece e admira o caráter municipalista do governador é o prefeito de Goiatuba, Fernando Vasconcelos (PMDB). “É um gestor municipalista e as prefeituras precisam disso, de um governador democrático. Por acompanhar o seu trabalho, entendi que ele é o melhor para Goiás. Assumi a prefeitura há dez meses, mas já vejo muitas obras, como a recuperação das rodovias estaduais que cortam o município. Ganhamos uma unidade do Vapt Vupt, pavimentação urbana, a sede do Corpo de Bombeiros, que está sendo instalada, e infraestrutura para nosso Distrito Industrial”, enumera.

O prefeito de Taquaral, Willis Moraes (Ziro, DEM) é categórico: “Com certeza é um governador que não escolhe partido, ajuda a todos que precisam. Em Taquaral, mais de 60% da população está com ele”, diz o democrata, que destaca o início da construção da rodovia que liga a cidade à Santa Rosa como uma das mais importantes obras da região. 

Prefeito de Nazário, Adalcino Rosa (DEM) explica que apoia Marconi desde a primeira vez em que o tucano se candidatou ao governo do Estado, em 1998, porque desejava profundas mudanças em Goiás. “Depois desses anos, vendo que as coisas têm dado certo, vou trabalhar mais ainda, todos os dias, para que ele continue a trabalhar por nós. Já vi vários governadores que fizeram meia dúzia de estradas, alguns mutirões, mas um homem que fez um Estado inteiro em um mandato tem que ser é presidente da República futuramente”, sugere.

Um dos 18 prefeitos do PMDB que apoiam Marconi, João Eustáquio, que administra São Patrício, afirma que não tem razão para apoiar outro candidato ao governo estadual a não ser Marconi. “É um parceiro que me ajudou sempre. Meu município e eu somos gratos a ele por isso. Logo, meu apoio é natural”, explica o prefeito, destacando que está sendo possível, por meio de convênio com o governo do Estado, recapear as ruas da cidade, entre outras parcerias. “E a reconstrução da GO-154, que liga Ceres a Carmo do Rio Verde, passou a ajudar muito a região”, diz.

Outro caminho

Desde que seu partido tomou outro caminho em relação à eleição para o governo do Estado, no mês de março deste ano, o prefeito de Petrolina de Goiás, João Bento (PSB), decidiu apoiar o governador Marconi Perillo. “Fiquei descontente com a decisão do meu partido e comecei a buscar o caminho que entendia ser o melhor para Goiás. Em nenhum momento fui convidado ou pressionado a apoiar Marconi. Tomei a iniciativa por conta própria, porque o que vejo é que Goiás se transformou em um imenso canteiro de obras. Pavimentações, duplicações, iluminação de rodovias, viadutos, construção do Hugo 2. Marconi é republicano, e o interesse dele é ajudar o povo”, ressalta.

O prefeito de Piracanjuba, Amauri Ribeiro (PRP), afirma que está com Marconi porque Goiás não pode correr o risco de cair em outro governo que “trave” o desenvolvimento do Estado. O prefeito de Planaltina de Goiás, Elis Reis (PSC), reitera: “Temos muita esperança nele para termos um futuro cada vez melhor.” 

Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp