22/12/2020 às 17h30min - Atualizada em 22/12/2020 às 17h30min

Vacinação contra o novo coronavírus deve começar entre 10 e 20 de fevereiro em Goiás, diz Caiado

Prioridade será para grupos de risco

Tribuna Piranhense - com informações da Secretaria de Comunicação do Governo de Goiás
Jotta Oliveira
(Foto: Reprodução)
A data prevista para que o Ministério da Saúde dê início ao Programa Nacional de Imunização contra a covid-19 é entre 10 e 20 de fevereiro de 2021. A informação foi dada pelo governador Ronaldo Caiado durante entrevista exclusiva ao Bom Dia Goiás, da TV Anhanguera, na manhã desta terça-feira (22/12), e, posteriormente, em coletiva de imprensa.
 
“Já temos data marcada para iniciar a campanha nacional. Vamos ter a vacina a partir do dia 10 de fevereiro e priorizar aqueles que têm as maiores complicações. Ao evitar a contaminação dessas pessoas, nós diminuiremos a ocupação dos leitos hospitalares e o risco de óbito”, disse Caiado.
 
O governador de Goiás destacou que a estimativa é que haja, no segundo mês do próximo ano, 60 milhões de doses disponíveis, que serão destinadas aos grupos de maior risco. “Temos 600 mil vacinas da Pfizer chegando em janeiro, 6 milhões da Coronavac até 20 de janeiro. Em fevereiro, teremos no Brasil a produção de 30 milhões de vacinas/mês do Butantã e da Fiocruz, 15 milhões. Também a vacina russa, que está sendo produzida por um laboratório em Brasília, com capacidade de entregar 10 milhões de doses”, enumerou.
 
Ainda pela manhã, durante coletiva de imprensa, Ronaldo Caiado também informou que a Universidade Federal de Goiás (UFG) já se prontificou a fornecer equipamentos de refrigeração para armazenar as doses da Pfizer, que necessitam de temperaturas abaixo de 70 graus Celsius.
 
Sobre seringas, agulhas, equipamentos de proteção individual (EPIs) e demais insumos necessários, Caiado assegurou que o planejamento está bem resolvido. “Goiás tem contingente mais que suficiente para atender os 7,2 milhões de goianos. Fora nossa capilaridade, que não encontra menor dificuldade no Estado”, garantiu.
 
Festas de fim de ano
 
A iminência da vacinação e a preocupação com as férias e festas de fim de ano fez com que o governador, mais uma vez, fizesse um pedido de moderação nas celebrações que, por tradição, reúne familiares de todas as idades, o que coloca em risco principalmente os mais idosos. “Vamos cancelar este ano, fazer uma coisa mais íntima, para que em 2022 possamos comemorar em dobro. Estamos tão perto da vacina. Vamos esperar. Já superamos todo um ano sem perspectiva de data”, fez apelo Caiado à população, durante entrevista ao Bom Dia Goiás.
 
O governador também relembrou medidas que fizeram com que Goiás prolongasse a curva de contágio, o que evitou um crescimento exponencial. “Todos os Estados tiveram pico. Em Brasília, por exemplo, o nível de contaminação, complicações e óbitos foi muito maior”, citou. “Não queremos que o mundo pare, nem que nosso Estado pare. O que precisamos é ter condições para que o paciente possa ter o atendimento na UTI em caso de complicação”. O governador destacou que hoje o Estado conta com mais de 751 leitos acrescidos ao atendimento da população.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp