19/09/2014 às 07h09min - Atualizada em 19/09/2014 às 07h09min

Carteira de identidade passará a ser digital

Custo total de implantação será de R$ 33,8 milhões. Início será apenas em situação emergencial

O Popular
Carteira de identidade passará a ser digital (Foto: Divulgação)

A antiga carteira de identidade emitida em Goiás passa a ser substituída, gradativamente, por um modelo de documento que tem como principais características a assinatura e a fotografia digitalizadas e as impressões digitais captadas por meio de leitor biométrico. O novo documento, considerado por especialistas como difícil de ser fraudado, passa a ser confeccionado a partir de segunda-feira, em projeto piloto desenvolvido exclusivamente na unidade do Vapt-Vupt de Campinas.

Inicialmente, a nova carteira de identidade será emitida apenas para as pessoas que estão em situações consideradas de urgência, entre as quais as que necessitam viajar ao exterior, tomar posse em concurso público e submeter-se a tratamento de saúde. A partir de fevereiro, o novo documento passa a ser disponibilizado nos cerca de 70 postos espalhados em unidades do Vapt-Vupt e em delegacias de polícia da capital e do interior para todos os cidadãos que necessitarem ou manifestarem interesse. O diretor do Instituto de Criminalística da Polícia Civil de Goiás, Eraldo Augusco, antecipa que o novo modelo será impresso tanto na primeira quanto na segunda via. Quem não quiser, não precisa trocar o antigo documento.

Biometria

A emissão da nova carteira de identidade integra o Programa Goiás Biométrico, uma iniciativa arrojada, que visa colocar o Estado em sintonia com o que há de mais moderno no Brasil e no mundo. Efetivado por um consórcio de empresas localizadas nos Estados de São Paulo, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul, o programa exigirá do Estado investimentos da ordem de R$ 33,8 milhões. Eraldo Augusco informa que a nova carteira de identidade compõe apenas uma das ações do grande projeto.

O programa, conforme diz o diretor, também prevê a reforma da sede do Instituto de Criminalística, localizada no Centro; a aquisição de móveis e equipamentos para a instituição; o escaneamento e a digitalização de todo o acervo civil de Goiás, composto por cerca de 4 milhões de fichas.

Perícias

Atualmente, o acervo do Instituto de Identificação da Polícia Civil é acondicionado em pastas dispostas em armários. A digitalização de todo o material, conforme Eraldo Augusco, vai favorecer a realização das perícias e dar celeridade às investigações policiais. “Com a conclusão deste processo, a polícia terá condição de confrontar a impressão digital deixada em objetos, veículos e armas, entre outros, com as fichas digitalizadas e, assim, identificar em menor tempo possível o acusado do crime”, sublinha.

A nova carteira de identidade também será entregue em menor tempo ao cidadão. Atualmente, na capital o documento é impresso e disponibilizado num prazo de aproximadamente 15 dias. A partir da nova metodologia, será entregue em quatro dias. No interior, há a expectativa de o tempo de espera ser reduzido de um mês para dez dias. O diretor de Negócios da Biomática, uma das empresas que integram o consórcio, Fabrizio Vargas, informa que a metodologia pode ser utilizada pelo governo estadual para o aperfeiçoamento de outros serviços públicos, como cadastros de programas sociais e controle da folha de pagamento.

O sistema de biometria é implantado em 11 Estados. De acordo com Fabrizio Vargas, somente Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal serão as únicas unidades a terem o sistema com capacidade para processamento civil e criminal.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp