21/09/2014 às 09h55min - Atualizada em 21/09/2014 às 09h55min

As dificuldades das mulheres em alcançar o orgasmo

Aparecida Andrade - DM
Tabus ainda são motivos para que mulheres não alcancem o orgasmo (Foto: Reprodução)

Temas como sexo, amor, prazer, orgasmo, fantasias sexuais, segredos para esquentar a relação, ainda são vistos como tabus em nossa sociedade. A escritora, orientadora sexual e palestrante Selma Arau, casada e mãe de três filhas, diz que no Brasil, as causas são históricas. Tanto que o escritor português Pero Vaz de Caminha, quando se referiu aos índios nus da terra que se tornaria Brasil, ele disse “suas vergonhas” definindo a concepção do nu.

A escritora pontua que são vários os tabus os quais, geralmente, impedem a mulher de se conhecer melhor, em uma relação de descoberta, tendo por principal motivo a vergonha. Ao contrário do homem que encontra outro obstáculo ao negar-se conhecer melhor, por acreditar que sabe tudo sobre sexo. Entendendo que caso se sujeite buscar orientação para melhorar a vida sexual, ele perderá sua virilidade. Para Arau não há uma naturalidade para se falar do assunto.

Talvez por isso, observa ela, que embora vivamos em uma época em que as pessoas expõem muito os seus corpos, e o sexo é mais praticado ainda existem aproximadamente 47% de homens e mulheres, que se consideram insatisfeitos com sua vida sexual. “Acreditar que sexo está separado do amor ou afeto, que é coisa suja, pecaminosa, feia, ter preconceito em relação ao corpo ou a posições sexuais são fatores que atrapalhar na hora H”, avalia.

De acordo com Arau quase 50% das mulheres tem dificuldade para sentir orgasmo, tendo como uma das causas inibidoras os tabus e as proibições dos pais, na infância e adolescência, que travam a mulher quando adulta na cama. “Muitas perdem a vontade de fazer sexo; sentir-se usada, desrespeitada só porque o parceiro deseja experimentar uma novidade na cama, ou então fazer só para agradar o homem sem buscar o prazer pessoal, são sintomas da presença do tabu”, constata.

Mas, a especialista assegura haver meios de mudar essa realidade. “Tem como mudar, pois toda mulher é potencialmente orgástica, sentir prazer é de suma importância para a saúde, e traz uma série de benefícios. A anorgasmia (não gozar) é inimiga da mulher”, avalia. Acrescentando que existem técnicas que ajudam a cultivar essa sensação. “Hoje, a mulher já conquistou tantas coisas, agora só falta aumentar o número das que conseguem sentir o orgasmo ao chegar ao clímax sexual”, salienta.

Ela acrescenta ser totalmente possível jogar fora o que não faz essa mulher bem, e incluir o que realmente contribui para uma vida mais feliz. “Conhecer o próprio corpo, saber o que realmente é entendimento seu, ou é algo que botaram em sua cabeça, não julgar antes de saber se realmente gosta ou não gosta, é fundamental”, diz.

Preconceito

Qual mulher não deseja amar e ser amada na cama e no cotidiano? E ainda aprender novidades para esquentar o relacionamento, além de ter um jeito todo especial de dar e sentir prazer. Com o intuito de ajudar a mulher a se apropriar da sua sexualidade e investir nela para atrair para si o homem certo, e desfrutar de uma relação maravilhosa a dois. Selma Arau resolveu lançar o livro Boa de Cama.

“Quando lancei o livro Boa de Cama, na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, conversei com grupos de adolescentes, casais e centenas de mulheres e, por reiteradas vezes, me perguntaram se eu era garota de programa. Esse é o tabu de que uma mulher boa de cama só pode ser profissional do sexo”, revela.

No entanto, a escritora revela que, ao contrário, ser boa de cama é para mulher que deseja ser feliz em todos os sentidos, o que inclui a cama. Outro exemplo, citado por ela, foram os olhares de reprovação que alguns ainda insistem em lançar quando a veem com o livro ou a camiseta com o título Boa de Cama destacado. “A mulher que está satisfeita com sua vida sexual, não tem medo de envelhecer, nem de perder o seu homem para outra, pois ela sabe quem ela é, e do que é capaz de fazer para ser e fazer feliz”, narra.

Quebra de tabus

O que despertou a autora a escrever o livro, foram o desejo e convicção de que todos merecem ser felizes em seus relacionamentos, e de que não basta estar com alguém, é importante cuidar da relação, investir nela para que seja satisfatória, feliz e prazerosa. “Cultivar o respeito, paixão e tesão pelo seu parceiro, tê-lo apaixonado e desejando você sempre”, conta.

A autora lembra que o livro Boa de Cama apresenta uma visão sobre sexo, capaz de ajudar a mulher a se soltar ainda mais. E brinca, “nem só de trabalho vive a mulher e o prazer, decididamente, integra o seu rol de exigências. Até os chefes mais carrascos, quando estão desfrutando entre quatro paredes ficam mais agradáveis.”


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp