03/11/2014 às 10h20min - Atualizada em 03/11/2014 às 10h20min

Já começou a 2ª etapa de vacinação contra aftosa

Jotta Oliveira - Piranhas
Campanha termina dia 30 de novembro (Foto: Reprodução)

A segunda etapa anual da Campanha Nacional de Erradicação da Febre Aftosa no Estado de Goiás começou no último dia primeiro. A campanha, realizada pela Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), deve se estender até 30 de novembro. Nesta etapa, todos os bovinos e bubalinos com até 24 meses devem ser vacinados, sendo aproximadamente 10 milhões de cabeças de um rebanho estimado em cerca de 21 milhões em todo o Estado.

O presidente da Agrodefesa, Antenor Nogueira, chama a atenção para a novidade a partir dessa etapa: a obrigatoriedade da emissão da nota fiscal eletrônica mediante a compra de vacinas contra a aftosa, a brucelose, doenças aviárias e a raiva. “Por meio da nota fiscal eletrônica será possível saber se a quantidade de vacinais vendidas será compatível com a quantidade de bovinos vacinados”, afirma o presidente. Os dados do comércio serão repassados online pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) à Agência.

De acordo com o secretário de Agricultura de Goiás, Antônio Flávio Camilo de Lima, o Estado avançou muito e é reconhecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), como o que possui o melhor serviço de inspeção sanitária no País. “É resultado dos esforços do governo do Estado e do pecuarista que fizeram sua parte e trabalharam com eficiência”.

Durante o período da campanha, qualquer animal que precise ser movimentado no Estado deve estar vacinado, respeitando-se o período de carência da vacina. No site da Agrodefesa, em Sanidade Animal, o produtor encontrará o link Etapa de Vacinação para impressão do formulário de Declaração de Vacinação do rebanho, que também pode ser feita online, desde que a nota fiscal da compra da vacina seja eletrônica e com emissão no Estado de Goiás.

Segundo o gerente de Sanidade Animal, Antônio Leal, em qualquer dos casos, o documento deverá ser enviado à Agrodefesa até cinco dias corridos após o encerramento da etapa.

O criador que não imunizar seus animais durante o período da campanha terá de fazer a vacinação assistida por fiscal estadual agropecuário e ainda pagar multa de R$ 7 por cabeça.

Em caso de reincidência, o valor dobra. A Agrodefesa alerta ainda para a proibição de leilões presenciais ou virtuais nos dias 31 de outubro e 1º de novembro. Durante o período da campanha, qualquer animal para ser movimentado no Estado precisa estar vacinado respeitando-se o período de carência da vacina: 15 dias para animais com uma vacinação ou primovacinados, sete dias para animais com duas vacinações.

Raiva

Simultaneamente, neste mês de novembro ocorrerá a vacinação contra a raiva dos herbívoros. Conforme Antonio Leal, também devem ser vacinados contra a doença todos os bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos e equídeos com idade até 12 meses nos 119 municípios considerados de alto risco para a doença. A lista com os nomes das localidades e mais detalhes sobre ambas vacinações estão no site da Agrodefesa. Informações no sitewww.seagro.go.gov.br ou no telefone

(62) 3201-8905 (Comunicação Setorial/Seagro).


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp