17/12/2014 às 07h25min - Atualizada em 17/12/2014 às 07h25min

Médio Araguaia busca apoio de prefeitos para dinamizar agricultura familiar

Jotta Oliveira - Piranhas
Tribuna Piranhense
Maior presença de prefeitos ainda é meta (Foto: Elio Afonso)

Uma reunião realizada na ultima segunda-feira (15/12), entre coordenadores do Território Médio Araguaia e o presidente da Associação Goiana dos Municípios, AGM, Cleudes Baré, prefeito de Bom Jardim de Goiás, marca uma nova fase do Território. O encontro serviu para alinhar parcerias visando o desenvolvimento de ações para fortalecer a agricultura familiar da região. De fato, a ausência dos prefeitos e, por conseqüente dos titulares das secretarias de agricultura, ainda é um elo desconectado da corrente da política territorial.  Da reunião, além de uma conversa franca sobre a realidade regional e as perspectivas de futuro,  ficou encaminhada a realização do 1º Encontro com os Prefeitos do Território Médio Araguaia. Dia 13 de janeiro, no escritório da Emater- Iporá, uma comissão composta por representantes do Médio Araguaia e  da AGM vão formatar o referido encontro e propor a data.

Todos os 21 municípios do Médio Araguaia tem base produtiva rural; em todos, há uma presença significativa de agricultores familiares, tradicionais ou de assentamentos de reforma agrária. Os representantes do Território pleiteam uma atenção maior dos gestores municipais à agricultura familiar por que o setor apresenta  potencialidades até então pouco percebidas e valorizadas no processo de desenvolvimento dos municípios e da região. O Médio Araguaia tem vocação para a produção de alimentos diversificados para o mercado local e até nacional. Uma grande potencialidade  que passa pela agricultura familiar.

 Os representantes do Médio Araguaia acreditam que afinar a sintonia com os prefeitos é necessário para avançar políticas públicas para o setor da agricultura familiar. Na pauta do esperado encontro com os prefeitos, há demandas como: criação dos sistemas de inspeção municipal (SIM) para permitir a ampliação dos mercados para comercialização de produtos processados da agricultura familiar,  melhor aproveitamento dos recursos do Pronaf Infra-Estrutura (PROINF) e emendas parlamentares,  fortalecimento das secretarias municipais de agricultura, além do desafio da assistência técnica pública. Cada temática desta é muito urgente para o setor que vê oportunidades batendo à porta, mas carece do suporte do poder público municipal para empreender.

A política territorial, coordenada pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, é uma estratégia do governo federal com foco no meio rural e na agricultura familiar,  um dos eixos de sustentação do processo de desenvolvimento do Brasil. A partir desta visão, o governo federal garante investimentos estruturantes, através das prefeituras, dos estados  e de organizações sociais. O exemplo mais recente são as máquinas do PAC2-Estradas Vicinais: todos os municípios do Médio Araguaia, assim como todos aqueles municípios brasileiros com até 50mil habitantes, receberam uma patrol, uma retroescavadeira e um caminhão basculante. A contrapartida cobrada pelo governo federal dos municípios é o custeio funcionamento das  máquinas  que devem atender preferencialmente a agricultura familiar (produção, comercialização, escoamento, transporte, por exemplo).


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunapiranhense.com/.
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp