05/05/2015 às 10h17min - Atualizada em 05/05/2015 às 10h17min

Salário de servidores goianos parcelado, mas com descontos integrais

Em muitos casos, valores pagos aos servidores foram menores que descontos na folha.

De O Popular

O governo estadual parcelou os salários do funcionalismo públicos, mas os descontos foram feitos integralmente no primeiro pagamento, o que reforçou a insatisfação dos servidores. O Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Goiás (Sindipúblico) diz que há caso de servidor que recebeu apenas 50 reais na quinta-feira, quando foi paga a primeira parte dos salários.

Além dos descontos legais – de imposto e previdência –, houve o débito da assistência à saúde (Ipasgo), incluindo as mensalidades dos dependentes, além do abatimento de empréstimos consignados. “Teve gente que veio chorando aqui. Há muitas reclamações”, relata o presidente do Sindipúblico, Thiago Vilar.

Com os descontos legais, a analista Lucynes Mendonça recebeu 34% do salário bruto na semana passada. Ela não tem empréstimo. O salário líquido foi dividido ao meio, com a segunda parcela prevista para pagamento sexta-feira – quinto dia útil do mês. “É no início do mês que a gente se organiza e, para mim, ficou bem apertado”, diz a servidora. “Não dá para entender. O governo faz tanta propaganda, tem tantos gastos e quer jogar a culpa só em cima da folha? E os comissionados que recebem o dobro de efetivos que estudaram e prestaram concurso?”, questiona.

O Sindipúblico não tem um levantamento sobre os servidores que sentiram um peso maior do parcelamento, mas há muitos casos em que os valores pagos na quinta-feira foram menores do que os descontos. Aconteceu com o assistente de Comunicação Luiz Claudio do Nascimento Cavalcante, que recebeu R$ 658,4 e teve descontos totais de R$ 976,53, incluindo consignado. “Se não fossem os freelas que faço, estaria perdido”, diz.

O governo anunciou em nota oficial na semana passada que adotará o parcelamento ao longo de todo o ano, ressaltando que o pagamento está dentro da legalidade. Embora a legislação estabeleça o prazo até o quinto dia útil para pagamento de salários, o governador Marconi Perillo (PSDB) adotou a quitação no mês trabalhado como marca de suas gestões. Na campanha eleitoral do ano passado, quando foi reeleito para o quarto mandato, reforçou o compromisso com os servidores.

A Sefaz informou que o pagamento até o quinto dia útil só será possível com a antecipação do ICMS de grandes empresas do dia 10 para o dia 5.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Fale com o Tribuna Piranhense
Fale conosco pelo Whatsapp